De 9 a 17 de Julho a AIMMP recebeu uma comitiva moçambicana no âmbito do projeto “Visita de Compradores”, com o objetivo de promover relações e oportunidades de negócios entre Portugal e Moçambique, através da identificação e divulgação de oportunidades de negócios, estabelecimento de contactos de parceria, troca de informação e ideias entre as empresas participantes a nível local de forma a fomentar negócios e respetivas oportunidades.

Catálogo com empresas participantes nesta iniciativa

Contextualização do mercado Moçambicano

Promover relações e oportunidades de negócios entre Portugal e Moçambique através da identificação e divulgação de oportunidades de negócios a encontrar nas províncias de Maputo e de Inhambane. Estabelecimento de contactos de parceria, troca de informação e ideias entre as empresas a nível local de forma a fomentar negócios e respetivas oportunidades. Com uma estratégia de desenvolvimento formulada para inverter as diferenças sociais e económicas existentes entre o norte e o sul, apostou-se numa economia socialista centralmente planificada. No entanto, as conjunturas regionais e internacionais desfavoráveis, as calamidades naturais e um conflito militar interno de 16 anos inviabilizaram esta estratégia. Após um Programa de Ajustamento Estrutural, em 1987, o País tem estado agora a registar um notável crescimento económico. O Produto Interno Bruto (PIB) tem estado a crescer numa média acima de 7-8% ao ano, chegando mesmo a atingir níveis de 2 dígitos. A inflação está abaixo de 10%. A tendência é mantê-la em um dígito. Em termos monetários, Moçambique possui um dos regimes cambiais mais liberalizados de África. Os parceiros comerciais externos têm motivos suficientes para inspirarem uma grande confiança pelo País face à capacidade que as autoridades monetárias têm conseguido manter volumes adequados de meios de pagamento sobre o exterior. As reservas externas do Banco Central têm estado a situar-se acima dos seis meses de importação de bens e serviços. O Estado, através da execução da sua política orçamental regula e dinamiza as áreas sócio-económicas mais importantes e cria um bom ambiente de negócios muito favorável ao desenvolvimento da iniciativa privada. As reformas jurídicas no âmbito da legislação financeira, fiscal, laboral, comercial e da terra levadas acabo pelo Governo contribuem significativamente para fortalecer esse bom ambiente com a respetiva atração do investimento privado nacional e externo.