No dia 27 de junho, a AIMMP reuniu, na sua sede, sita à Rua Álvares Cabral, nº 281, no Porto, em Assembleia Geral, onde apresentou os resultados de 2017 e projetou o plano de atividades para o corrente ano.

O presidente da AIMMP começou por realçar a melhoria dos resultados, “fruto de um grande trabalho de recuperação da Associação”, ao mesmo tempo que sublinhou alguns dos projetos mais importantes que têm contribuído para o desenvolvimento da AIMMP, a nível nacional e internacional, com o consequente reconhecimento pelas entidades externas, nomeadamente a banca, a AICEP (Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal), ao COMPETE2020, IAPMEI, entre outras.

Vítor Poças vincou, ainda, o facto de a AIMMP ter recuperado um novo estatuto junto de entidades europeias como a CEI-Bois, “onde a AIMMP preside ao Grupo de Trabalho” e, ainda, a EFIC e a EPAL– das quais, ele próprio faz parte das respetivas Direções, em representação da AIMMP.

O Presidente realçou, igualmente, a importância da entidade formadora CFPIMM “do qual somos administradores”.

Contudo, o destaque foi para a execução dos projetos que mais alavancaram a AIMMP, concretamente o Inter Wood & Furniture, o Eco Wood & Furniture, ou o Associative Design. E, ainda, para o forte aceleramento do CNUF.

Sem descurar a importância das quotas que cada associado paga anualmente, salientou, contudo que essa é uma verba muito curta para fazer face ao conjunto de despesas a que a Associação faz frente, pelo que o que realmente pesa no orçamento da AIMMP são os projetos a que se tem candidatado e conseguido aprovação “o que significa que a AIMMP é realmente muito útil aos seus associados e que presta um grande serviço ao setor.

Os prémios Guilherme Award e PNAM foram outras das pedras de toque do discurso do Presidente da AIMMP que aproveitou a oportunidade para anunciar que a próxima edição do Guilherme Award será lançada no Congresso da AIMMP a realizar no final do mês de novembro, em Lisboa. Altura em que também terá lugar o 2º Seminário Internacional “Perspectives and Challenges of the Woodworking Industries in Europe” da CEI-Bois, cujo acolhimento volta a ser da AIMMP, à semelhança do que aconteceu, no 1º Seminário, em 2017. E, ainda, o encerramento dos 60 anos da AIMMP com um jantar de Gala.

A aquisição das novas instalações em Lisboa, nas Olaias, é outro dos motivos de orgulho do Presidente da AIMMP. “Um espaço com 200 m2, duas salas para reuniões, duas salas para formação, quatro lugares de estacionamento e com um terraço fantástico com vista para o Tejo”.

Para o ano de 2018 foi anunciado o recente incremento do projeto Associative Design.

Os Relatórios de Atividades e Orçamentos foram validados pelo Conselho Fiscal e aprovados, por unanimidade, pela Assembleia Geral.