Informamos que após várias deteções de nemátode da madeira do pinheiro (Bursaphelenchus xylophilus) em diversas amostras colhidas em madeira tratada  (madeira serrada tratada, acompanhada de passaporte fitossanitário, e em materiais de embalagem de madeira), a DGAV determinou novas regras para validação do tratamento térmico de madeira e material de embalagem de coníferas.

Destacam-se as seguintes alterações:

 – a validação do tratamento depende, cumulativamente, de um registo de temperatura na sonda do ar superior a 70ºC e da temperatura nas sondas colocadas na madeira igual ou superior a 63oC por um período mínimo de 60 minutos (para carregamentos de madeira serrada ou mistos de madeira serrada e paletes) ou igual ou superior a 56ºC por um período mínimo de 30 minutos (para carregamentos exclusivamente de paletes);

– os malotes armazenados na zona destinada a madeira tratada devem estar obrigatoriamente identificados com o n.º de lote de tratamento;

– a ausência parcial de registo térmico passará a ser considerada como inconformidade do tipo A (muito grave), idêntica à ausência total de registos;

– as empresas devem garantir uma boa conservação das instalações e equipamentos. 

Alertamos que a DGAV pretende que este procedimento seja aplicado urgentemente, pois esta condição será verificada nas próximas supervisões. A DGAV destaca que o incumprimento a partir do 2.º semestre de 2020 constitui inconformidade do tipo A (muito grave).