Málaga acolheu o 39º Congresso Europeu do Parquet, organizado pela FEP – Federação Europeia das Indústrias de Parquet e que contou com a presença de 75 profissionais do setor, oriundos de toda a União Europeia.
Como principais conclusões deste encontro, destaca-se:

• O parquet representa apenas 5% do mercado europeu de pavimentos. “A empresa que fabrica parquet no país vizinho NÃO é o inimigo – declamou Lars Gunnar Andersen, Presidente da FEP. Devemos é tratar de incrementar a quota de mercado do parquet”.
• Os países da União Europeia registaram em 2013 una produção de parquet de 77 milhões de metros quadrados. O consumo caiu 2,3%, situando-se em 82 milhões de metros quadrados.
• El carvalho continua a ser a espécie dominante no mercado. Entretanto, as espécies tropicais mantêm os seus registos com uma tendência de queda.
• O potencial da concorrência é crescente, sobretudo em solos vinílicos (LVT).
• Neste contexto, a Federação insiste em que “há que defender o original, o parquet feito com madeira autêntica, sem atacar a concorrência, mas defendendo o nosso produto à saciedade”. Destacam-se, de entre as atividades da Federação, o prémio para a melhor iniciativa em defesa do parquet, a eco-etiqueta para o parquet, os distintivos “Made in” para identificar e prestigiar a origem do produto e, sobretudo, a implantação e promoção do selo REALWOOD, como garante de que um pavimento é verdadeiramente de madeira, e não uma imitação.