Comunicação da Presidência da Républica à AIMMP:

“Caríssimos Senhores

Na sequência da Jornada de Sua Excelência o Presidente da República dedicada à Floresta portuguesa,
gostaria de agradecer o excelente acolhimento e a sempre prestimosa colaboração dispensadas, determinantes
para o sucesso desta iniciativa.

A Jornada teve como principal objectivo a valorização da nossa Floresta, contemplando as suas três fileiras –
pinheiro, sobreiro, eucalipto –, da produção à transformação, tendo em vista a comercialização e a exportação,
sem descurar a componente fundamental do conhecimento associado à inovação mas também, e necessariamente,
à protecção e preservação ambiental da nossa Floresta.

Estou convicta que esta acção de Sua Excelência o Presidente da República, de dedicar um dia à Floresta,
de uma forma holista, atendendo à sua sustentabilidade ambiental, económica e social, contribuiu para uma
visão mais ampla, diversificada e positiva da nossa Floresta. Sei que este é um desafio permanente que
assumiram e desenvolvem quotidianamente e para o qual desejo as maiores felicidades.

Muito grata, apresento os melhores cumprimentos,

M. Patrão Neves”

O Presidente da República esteve na região centro a falar e a ouvir falar da Fileira Florestal.
Uma visita que terminou em Ourém, na Madeca, onde o Presidente conheceu de perto uma grande unidade
industrial transformadora de varias espécies de madeiras, entre elas a casca de pinheiro que ajuda a criar das mais
belas orquídeas do mundo.

Vítor Poças, presidente da aimmp ofereceu à Dra. Maria Cavaco Silva um pequeno, mas muito especial, presépio de madeira.
Entre outras personalidades, esteve o presidente da Cei-Bois Marc Michielsen.
Esta visita histórica foi uma iniciativa da Casa Civil da Presidência da República e da AIFF.

Notícia Lusa/Sol:
http://www.sol.pt/noticia/126798

“O Presidente da República defendeu hoje a mobilização dos portugueses para cuidarem das dimensões ambiental, social e económica
da floresta, para se alcançar maior rentabilidade mas com respeito pelos requisitos ambientais.

“Há aqui um trabalho a fazer no domínio da produção para tentar atenuar a escassez de matéria-prima”

“Nós temos todos que mobilizar os portugueses para cuidarem destas três dimensões, a dimensão ambiental, social e económica,
respondendo ao desafio de mais rentabilidade, mas, ao mesmo tempo, respeitando todos os requisitos ambientais”, afirmou Aníbal Cavaco Silva.

“É esse um dos grandes desafios que temos, de facto, à nossa frente”, defendeu o Presidente da República.

O chefe de Estado discursava em Tramagal, concelho de Abrantes, distrito de Santarém, no âmbito de uma jornada dedicada à floresta portuguesa, antes de um almoço de trabalho na herdade da Caniceira com produtores e investigadores da floresta.

“Há aqui um trabalho a fazer no domínio da produção para tentar atenuar a escassez de matéria-prima”, insistiu, apontando, ainda, a importância da certificação — apenas 10% da floresta nacional têm a sua gestão certificada — para a qualidade e competitividade dos produtos da floresta.

Quanto à inovação e investigação, o Presidente da República considerou que é por este caminho que se vão “encontrar novos produtos, desenvolver novos processos, novas formas de chegar aos exigentes consumidores dos produtos da floresta”.

A herdade da Caniceira é uma unidade de produção de pinheiro e eucalipto do grupo Portucel Soporcel, o maior produtor no país de pinheiro e eucalipto.

A jornada, denominada “A Floresta com(n) Vida”, é co-organizada pela Associação para a Competitividade das Indústrias da Fileira Florestal com os seus associados, dedicada à inovação na indústria de base florestal e à floresta portuguesa que pretende chamar a atenção para o valor ambiental, social e económico da floresta nacional.

Lusa/SOL”