“Estamos para o pinhal como estamos para os aeroportos”
Em entrevista ao PÚBLICO, Paulo Verdasca é cáustico: “Estamos para o pinhal como estamos para os aeroportos: já fizemos três projectos e não se constrói nada”, notando que, “desde Michael Porter, que definiu a floresta como um cluster importante para Portugal – eu fiz parte da equipa – e que fez um plano sério para este sector, não se fez nada”.
O administrador da Madeca é vice-presidente da AIMMP – Associação das Indústrias de Madeira e Mobiliário de Portugal. Diz que, “se tivéssemos investido na floresta o dinheiro que se pagou pelos estudos, éramos um país rico”.
Veja a reportagem completa aqui.