Importações poderão disparar e muitas empresas fechar quando esgotar o stock de madeira queimada

Em 1985 havia mais de 1200 serrações de madeira em Portugal. Agora não há mais do que 400 e é muito provável que daqui a dois anos haja ainda menos, o que pode resultar numa vaga de desemprego no sector, que atualmente dá trabalho a mais de 50 mil pessoas de forma direta.

Assim que se esgotar a madeira queimada que agora vai começar a ser armazenada em vários pontos do país (ver mapa) a indústria de transformação de madeira admite um de dois cenários: ou se aumentam ainda mais as importações ou, na pior das hipóteses, muitas das fábricas terão de fechar por falta de matéria-prima.

Vítor Poças, presidente da associação que representa o sector, teme que as empresas que sobreviverem possam vir a ter de importar entre 50% a 60% das suas necessidades. “Tenho a certeza absoluta de que muitas vão mesmo fechar, como já aconteceu no passado, aliás”. O presidente da Associação das Indústrias de Madeira e Mobiliário de Portugal (AIMMP) coloca ainda uma terceira hipótese: reciclar.

In: http://expresso.sapo.pt/economia/2018-03-31-Industria-da-madeira-teme-vaga-de-falencias